CAA Vanguarda, ASPRECAM e CRM/MG entregam o Mamamiga, dispositivo de auxílio a prevenção ao câncer de mama

 Em Faça Justiça à Sua Saúde, Institucional, Serviços e Programas

Sempre atentos à saúde e bem-estar da advocacia mineira, a Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais (CAA/MG) vem ao longo dos últimos anos investindo em diversas campanhas sociais no intuito de despertar a atenção para prevenção de doenças graves, entre elas, o câncer de mama. Anualmente, a gestão CAA Vanguarda promove o “Outubro Rosa”, projeto dedicado à luta contra o câncer de mama. São 31 dias de ações nas subseções da OAB/MG nos quatro cantos do Estado, presença de profissionais de saúde no Fórum e na Justiça do Trabalho, em Belo Horizonte, além de ampla divulgação na imprensa mineira.

De acordo com o vice-presidente da CAA/MG, Wagner Parrot, a importância da iniciativa beira o imensurável. “Qualquer que seja a ação no intuito de salvar vidas, é vital para o que pregamos dentro da Caixa de Assistência”, conclui.

Em 2015 a CAA Vanguarda aderiu ao projeto “Mamamiga”, fruto da parceria com a Associação de Prevenção ao Câncer da Mulher (ASPRECAM), que consiste em uma prótese mamária de silicone confeccionada para treinamento de mulheres leigas quanto a prática do autoexame e, consequentemente, conscientização da avaliação médica periódica no intuito de prevenir a doença. Por ocasião do “Outubro Rosa”, em 2016, surgiu a parceria entre CAA/MG, Associação de Prevenção ao Câncer da Mulher (ASPRECAM) e Conselho Regional de Medicina de Minas Gerias (CRM/MG).

Para José Nalon, conselheiro do CRM/MG, o alcance social dos projetos da CAA/MG é enorme. “Iniciativas como esta, abraçadas pela instituição, vem despertado grande interesse por parte do Conselho de Medicina de Minas”, afirma.

Nesta quinta-feira (27), às 19h, em solenidade realizada no CRM/MG, seis instituições e faculdades de ensino médico do Estado de Minas foram escolhidas nesta noite para receber os modelos do “Mamamiga”: Universidade Federal de Ouro Preto, UNI-BH, Faminas, Unifenas-BH, PUC-Minas/ Betim e Faculdade de Saúde e Ecologia Humana. Os modelos distribuídos serão utilizados em disciplinas de Semiologia e Ginecologia, de maneira a contribuir para o treinamento de alunos e orientação de pacientes. Ao todo, 45 instituições receberão as próteses mamárias.

“Este projeto tem um impacto muito grande. Os alunos terão um material prático e acessível para auxilia-los no diagnóstico precoce do câncer de mama. Importante iniciativa para contemplar a formação acadêmica, mas também de grande valor para toda a população”, ressalta Mônica Versiani, coordenadora e presidente do colegiado da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Você pode gostar destes também:

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar