Empreendedorismo Feminino na Advocacia Mineira

 Em Mulher Advogada

Por Juliana Pacheco

Em Minas Gerais, nós advogadas, representamos 47.35% dos advogados ativos do estado. E é muito interessante analisarmos como este número evoluiu ao longo do tempo, pois podemos observar, pela faixa etária dos advogados, que já fomos muito menos representativas, com 25%, 42%. Se olharmos para os advogados com idade entre 26 e 40 anos, nós já somos a maioria com 56% e, por fim, na nova geração, as mulheres já representam 66% dos advogados do estado de Minas Gerais.

Que análises podemos extrair destes dados?

 Primeiro, podemos nos alegrar com nossa vitória e nosso empoderamento! Depois, precisamos refletir e nos localizar neste mercado… qual é o percentual de mulheres que são sócias dos maiores e mais conceituados Escritórios de Advocacia do nosso estado? Quando vemos uma entrevista sobre o meio jurídico num veículo de comunicação, somos representadas à altura dos percentuais e tendências demonstrados acima? Quando vamos a Conferências, Congressos e Feiras Jurídicas, somos numericamente representadas?

Embora eu não conheça nenhuma pesquisa que analise estes números, prontifico-me a dizer que “Não temos representatividade coerente com o número de advogadas”! Não temos expressão que faça jus ao número de advogadas que temos atualmente.

E por uma simples análise matemática somada a uma certeza inabalável de que somos tão capazes quanto os advogados, que digo, com tranquilidade, que as advogadas empreendedoras, que além de matéria jurídica se preocuparem com assuntos relativos ao marketing jurídico e ao melhor relacionamento com os clientes, irão ocupar estas cadeiras e papéis que são nossos, mas que ainda não descobriram quais advogadas poderão se apossar deles.

Case de Sucesso: Juliana Pacheco

Confira o Case de Sucesso da advogada Juliana Pacheco e saiba como a autora da matéria conseguiu conciliar maternidade e carreira rumo ao sucesso.

Você pode gostar destes também:

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar