Curso de Pj-e em Além Paraíba e Pirapetinga

 em caamg, caavanguarda, Institucional

Na última semana, duas cidades da Zona da Mata Mineira foram agraciadas com o curso de Pj-e oferecido pela Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais.  Advogados e Advogadas de Além Paraíba e Pirapetinga atualizaram-se acerca do Processo Judicial Eletrônico (Pj-e).

No dia 6 de novembro, a presidente da 110º subseção/ Além Paraíba, Maria Celeste de Oliveira Matos agradeceu a presença da professora Gláucia Campolina na subseção. “A realização do curso de Pj-e para a advocacia de Além Paraíba foi de grande importância e nos proporcionou o melhor entendimento e manuseio dos sistemas do Processo Eletrônico”, afirma.

O aluno e advogado, Antônio Francisco Gomes Junior também elogiou a oportunidade, “o curso ministrado foi enriquecedor e de grande valia para os advogados e advogadas presentes”, acrescenta.

No dia 07 de novembro, os advogados e advogadas de Pirapetinga receberam o curso de Pj-e. O presidente da 221º subseção, Paulo Felipe Rodrigues falou sobre a importância do curso, principalmente para a advocacia do interior. “A qualificação do advogado para o PJ-e é de extrema importância ainda mais para nós, do interior de Minas Gerais onde o PJ-e começa ser implantado em nossa região”, afirma.

De acordo com a aluna e advogada de Pirapetinga, Amanda Bosco de Campos, “esse curso é imprescindível para manusear de forma segura e eficiente o PJ-e, sem que haja equívocos que prejudiquem os atos praticados e o regular andamento do processo”, conclui.

Sobre PJ-e e Jp-e

Desde o ano de 2014, a Caixa de Assistência mineira oferece a certificação digital para os profissionais do Direito, assim como cursos sobre PJ-e e JP-e. Os sistemas são desenvolvidos pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com os tribunais e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para a automação do Judiciário.

Resolução 185/2013 do CNJ, que instituiu o Sistema Processo Judicial Eletrônico (PJE), estabeleceu regras para a sua implementação, obrigando todos os tribunais a adotarem este sistema até o fim de 2018. Alguns tribunais já adotaram, mas ainda encontram-se, no Brasil, diversos sistemas diferentes.

Gláucia Campolina

Gláucia Campolina é advogada, fundadora da “Camargos Campolina Sociedade Individual de Advocacia”. É pós-graduada pela PUC-MG em Direito Processual (individual de advocacia), especialista em Direito do Trabalho, professora titular da pós-graduação da Escola Superior de Advocacia (ESA/MG), Conselheira Seccional da OAB/MG – gestão 2016/2018, e Conselheira Fiscal da AMAT/MG – gestão 2016/2018.

Além Paraíba

Pirapetinga

 

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Santo Ivo de Juiz de Fora participa de rastreamento nacional de DiabetesConheça o Minas Digital