Curso de PJ-e e JP-e em Formiga

 Em caamg, caavanguarda, Institucional

Durante todo o dia de hoje (09/07), a advocacia de Formiga recebe o curso de PJ-e e JP-e ofertado pela Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais (CAA Vanguarda). O curso ministrado pela Gláucia Campolina já teve a primeira parte finalizada pela manhã (PJ-e) e à tarde, os alunos estão atualizando-se acerca do JP-e.

 

O presidente da 16º subseção/ Formiga, Vicente de Paulo Faria falou sobre a importância da vinda do curso para atender a advocacia de Formiga e região. “Como a maioria dos advogados não é especialista em informática e tem dificuldade nessa área, se mostra de grande necessidade esse tipo de capacitação, bem como instruir os advogados sobre o correto uso da ferramenta e garantir o uso eficaz do novo sistema”, afirma.

 

Um dos alunos do curso, o advogado Lucas Chaves Mascarenhas também ressaltou as recentes mudanças tecnológicas que acontecem em várias áreas. “Não se faz diferente aos operadores do Direito que se veem diante de novas formas de atuar no processo” afirma.

O advogado também contou que não é o primeiro curso sobre o sistema que ele participa, sendo que cada vez, o profissional sana suas dúvidas da melhor maneira possível. “Já são três cursos de PJ-e que faço, e já levantei algumas dúvidas para esta nova edição. Como dito, a evolução do sistema é constante, novas versões todos os dias se apresentam, e ao lado do Advogado vem este suporte que a CAA/MG nos proporciona. Precisamos de informação de qualidade. O Curso PJ-e nos dá este respaldo, facilitando nossa lida com as tecnologias e as ferramentas que temos ao nosso dispor, e que invariavelmente temos que ir nos acostumando” conta.

 

 

Sobre PJ-e e Jp-e

Desde o ano de 2014, a Caixa de Assistência mineira oferece a certificação digital para os profissionais do Direito, assim como cursos sobre PJ-e e JP-e. Os sistemas são desenvolvidos pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com os tribunais e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para a automação do Judiciário.

Resolução 185/2013 do CNJ, que instituiu o Sistema Processo Judicial Eletrônico (PJE), estabeleceu regras para a sua implementação, obrigando todos os tribunais a adotarem este sistema até o fim de 2018. Alguns tribunais já adotaram, mas ainda encontram-se, no Brasil, diversos sistemas diferentes.

Gláucia Campolina

Gláucia Campolina é advogada, fundadora da “Camargos Campolina Sociedade Individual de Advocacia”. É pós-graduada pela PUC-MG em Direito Processual (individual de advocacia), especialista em Direito do Trabalho, professora titular da pós-graduação da Escola Superior de Advocacia (ESA/MG), Conselheira Seccional da OAB/MG – gestão 2016/2018, e Conselheira Fiscal da AMAT/MG – gestão 2016/2018.

 

 

Você pode gostar destes também:

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar