CAA Vanguarda adere à Campanha Nacional de Combate ao Vírus HIV

 Em Artigo, Campanha Nacional de Combate ao Vírus HIV

Em outubro de 2017 o Senado Federal aprovou a Lei nº 13.504 que institui o mês de dezembro como data Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (Dezembro Vermelho). A iniciativa tem como objetivo a prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/Aids. A Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais (CAA/MG) adere à Campanha Dezembro Vermelho e faz um alerta: “A relação é passageira. As consequências, não. Previna-se!”.

Para o presidente da CAA Vanguarda, é preciso discutir o tema mais amplamente. “Conscientizar a população é o passo mais importante para evitar a contaminação do vírus HIV”, ressalta.

Na terça-feira (05/11), a CAA/MG realizará ações na Justiça do Trabalho, de 09h às 11h, e no Fórum Lafayette, das 13h às 15h.

Estatísticas

Segundo dados divulgados em julho de 2017 pela UNAids, órgão das Nações Unidas (ONU) responsável por lidar com a epidemia, as estatísticas apontam para um aumento de 3% em novas infecções a cada ano no Brasil*. A elevação no país é considerada pequena, passando de 47 mil novos casos (2010) para 48 mil (2016). No mundo, essa taxa sofreu contração de 11%.

“O Dezembro Vermelho é de extrema importância para a CAA/MG. Ao longo do mês de dezembro, iremos iluminar os prédios da instituição com luzes na cor vermelha, além da veiculação da campanha em nossas mídias. A Lei nº 13.504 é um marco para a luta contra a Aids”, afirma Fabiana Faquim, diretora geral da Caixa de Assistência.

Dados entre o ano de 2010 e 2016*

 

Prevenção

  • Uso de preservativo durante as relações sexuais;
  • Utilização de seringas e agulhas descartáveis;
  • Uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais;
  • Testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão;
  • Mães infectadas pelo vírus (HIV-positivas) devem usar antirretrovirais durante a gestação para prevenir a transmissão vertical e evitar amamentar seus filhos.

 

Tratamento

Dados do Ministério da Saúde divulgados em 2016 revelam uma queda de 42,3% na mortalidade de pessoas com HIV/AIDS nos últimos 20 anos no Brasil. O incentivo ao diagnóstico e ao início precoce do tratamento, antes mesmo do surgimento dos sintomas, refletiram na redução dessas mortes. Todo portador do vírus HIV tem direito à assistência e ao tratamento gratuitos, dados sem qualquer restrição, garantindo sua melhor qualidade de vida.

Por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o Brasil é referência internacional no tratamento de AIDS, disponibilizando ao cidadão o coquetel de medicamentos, bem como o acesso gratuito a testagem de sorologia e ao preservativo. Estima-se que 827 mil pessoas vivem atualmente com o vírus no país. Desse total, 372 mil ainda não estão em tratamento e 112 mil vivem com HIV e não sabem.

Você pode gostar destes também:

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar